Shareble, Sociable, Simple e Seller – são estes os 4 S`s do Social Media e são estes os 4 S`s que lhe vão garantir a criação de conteúdos de sucesso para as suas redes sociais.

O conceito dos 4 P`s do Marketing criado em 1960 pelo professor Jerome McCarthy evoluiu naturalmente para os 4 E`s do Marketing Digital.

Mas sendo as redes sociais cada vez mais importante para as marcas, não fará também sentido existir um conceito para os conteúdos de Social Media? Acreditamos que faz todo o sentido e por isso queremos que conheça o conceito dos 4 S`s do Social Media.

Começando pelos 4 P`s do Marketing

Pode não conhecer os 4 S`s do Social Media, mas possivelmente conhece muito bem os 4 P`s do Marketing.

4 P`s do Marketing

Os 4 P`s do Marketing, também conhecidos como Marketing Mix, defendem que qualquer estratégia de marketing, deve ter como base 4 pilares:

Product (Produto)

O produto representa o produto ou serviço que a empresa vende e todas as características associadas ao mesmo. Nestes características incluímos, por exemplo, a marca, o design, a embalagem, a garantia, o serviço e a as características técnicas.

Dentro dos 4 P`s o produto é o que satisfaz a necessidade do consumidor. Como tal, antes de colocar um produto no mercado é importante decidir algumas questões:

  • Qual é a necessidade que o seu produto resolve?
  • Como vai ser produzido esse produto?
  • De que forma esse produto se diferencia dos concorrentes que já existem no mercado?
  • De que forma o produto será entregue aos clientes (design e embalagem)?
  • O produto terá garantia? E serviço de assistência?

Price (Preço)

O P de preço determina não só o preço a que vai vender o seu produto, mas também o posicionamento que o mesmo terá.

Ou seja, não basta calcular os custos de produção e comercialização do produto e acrescentar a sua margem de lucro. É preciso também analisar os preços praticados pela concorrência e perceber o preço que o consumidor está disposto a pagar pelo seu produto.

O preço que o consumidor está disposto a pagar pelo seu produto é influenciado por diversos fatores, como, por exemplo, o posicionamento da sua marca no mercado.

Mesmo que o mercado esteja a praticar um determinado preço relativamente a produtos da mesma categoria do seu, o fator mais importante é sempre o quanto o consumidor está disposto a pagar pelo seu produto. E quanto mais diferenciador o seu produto for, mais alto será o valor que os consumidores estarão dispostos a pagar.

Placement (Distribuição)

Este P representa a forma como o seu produto será distribuído, ou seja, de que forma é que o produto chega ao cliente.

Aqui, é preciso definir através de que canais o produto estará disponível para o cliente e também todos a logística que engloba essa distribuição.

Os produtos têm de ser distribuídos nos canais certos, para que possam ser encontrados pelos seus potenciais clientes.

Promotion (Comunicação)

Ter um excelente produto, com o preço ideal para os consumidores, distribuído nos canais certos, mas que os consumidores não conhecem, não lhe trará grandes vendas, não é verdade?

Sendo assim, é fundamental que decida como vai comunicar o seu produto, para que os seus potenciais clientes fiquem a conhecer o mesmo, bem como todas as características diferenciadoras que este apresenta relativamente aos concorrentes.

O consumidor tem de perceber de forma clara qual é o problema que o seu produto resolve e porque é que deve comprar o seu produto e não um produto da concorrência.

Passando para os 4 E`s do Marketing Digital

Com o Marketing Digital a ser cada vez mais importante para as marcas chegarem aos seus potenciais clientes, os 4 P`s do marketing tradicional deram lugar aos 4 E`s do Marketing Digital.

4 E`s do Marketing Digital

Experience (Experiência)

O produto no digital dá lugar à experiência. Mais do que vender um bom produto, que satisfaça as necessidades dos consumidores, as marcas devem preocupar-se em oferecer experiências únicas aos seus clientes.

A premissa para esta troca é simples: um produto pode ser substituído, mas uma experiência única não.

Assim, as marcas já não podem apenas vender produtos, têm de vender experiências aos consumidores e garantir que através dessas experiências conseguem estabelecer relações com os seus clientes.

Esta experiência pode ser, por exemplo, uma simples entrega do produto sem custos para o consumidor ou a entrega do produto no mesmo dia em que o cliente realiza a compra.

Quanto mais benéfica for a experiência para o cliente, mais valor ele reconhecerá à sua marca e ao seu produto.

Exchange (Troca)

O preço deu lugar à palavra troca e porquê? Porque quando as marcas oferecem uma experiência única aos seus clientes, não querem que estes apenas paguem pelos seus produtos.

As marcas esperam também que os clientes deixem um comentário positivo, que recomendem os seus produtos a outras pessoas e acima de tudo que voltem a comprar.

Assim, existe uma troca entre a marca e o consumidor- a marca oferece uma experiência única e espera que o cliente lhe ofereça recomendações, comentários positivos e lealdade.

Everywhere (Em todo o lado)

Estamos na era do digital e as marcas têm mesmo de permitir que os seus produtos sejam comprados em todo o lado.

O consumidor não pode apenas ter a opção de ir à loja física comprar o produto. O mesmo têm de estar disponível através de canais digitais. E em quantos mais canais estiver melhor.

Se o consumidor precisa do seu produto, ele tem de estar disponível para comprar 24 horas por dia e deve facilmente ser encontrado na Internet. Do mesmo modo, a forma de pagamento e a entrega do produto devem ser processos simples e rápidos.

Evangelism (Evangelização)

A comunicação deu lugar à evangelização. Já não chega serem apenas as marcas a divulgarem os seus próprios produtos, é preciso que também os seus clientes o façam.

Quando as marcas conseguem estabelecer relações próximas com os seus consumidores e fidelizar os mesmos, a evangelização acontece de forma natural.

E um cliente evangelista, é um cliente que de forma espontânea partilha os produtos da sua marca nas redes sociais, deixa comentários positivos e recomenda os seus produtos a outras pessoas.

Os 4 S`s do Social Media

Não é possível falar de marketing digital, sem falar de redes sociais. Elas fazem parte da vida dos consumidores e devem ser utilizadas pelas marcas para impactar os mesmos e estabelecer relações de próximas e duradouras.

Assim, os conteúdos que as marcas criam para as suas redes sociais devem seguir o conceito dos 4S`s.

4 S`s do Social Media

Shareble (Partilhável)

Quer que os seus conteúdos sejam partilhados e quantas mais vezes melhor, não é verdade? A partilha dos seus conteúdos pelos seguidores da sua marca, permite que outras pessoas conheçam a mesma e de forma totalmente orgânica.

Para que isso aconteça é importante que o consumidor reconheça tanto valor ao seu conteúdo, que sinta vontade de partilhar o mesmo com outras pessoas. Quanto mais os seus seguidores se identificarem com o conteúdo da sua publicação, mais facilmente vão partilhar a mesma.

Por exemplo, esta publicação da Starbucks é facilmente partilhável, já que os seus seguidores facilmente se vão identificar com a mesma. Afinal, ninguém conseguiu manter todos os planos que tinha para 2020.

A marca consegue através de um único conteúdo, divulgar o seu produto e tocar numa dor comum a praticamente todos os seus consumidores.

Imagem da Starbucks do S Shareble de Social Media

Sociable (Sociável)

As marcas têm de ser sociáveis e os seus conteúdos também. Ou seja, para os utilizadores das redes sociais deve ser agradável ver os conteúdos publicados pela sua marca, sendo que os mesmos devem retratar assuntos que a sua audiência-alvo facilmente reconhece.

O Licor Beirão foi uma das muitas marcas que aproveitou a Mariana do Continente para criar um conteúdo Sociável. Neste publicação, o Licor Beirão tocou num assunto super falado naquele momento, divulgou o seu produto e ainda se relacionou com outra marca, o Continente. Haverá melhor exemplo de um conteúdo Sociável?

Imagem do Licor Beirão do Sociable do Social Media

Simple (Simples)

Quantas vezes já passou horas a criar um conteúdo que no final não lhe trouxe os resultados esperados? Claro que não pode publicar conteúdos descuidados no seu feed, no entanto, por vezes os conteúdos simples são os que melhores resultados trazem.

Conteúdos demasiado complexos podem nem ser entendidos pelos seus seguidores. Simplifique a mensagem que quer transmitir e garanta que a mesma é bem interpretada pela sua audiência.

A Netflix é um excelente exemplo de uma marca que cria conteúdos simples e com os quais os seus seguidores se identificam.

Seller ( Que Venda)

Sim, as redes sociais são para vender. Embora não deva fazer do seu feed uma montra de produtos, deve criar conteúdos que deem a conhecer aos seus seguidores os seus produtos e o problema que os mesmos resolvem.

A Control, é o exemplo de uma marca que consegue criar conteúdos sociáveis, partilháveis, simples e que vendem o produto. Na publicação seguinte, mesmo não falando do produto, a marca coloca uma imagem do mesmo na sua publicação.

Certamente, os utilizadores que seguem os conteúdos da Control, quando forem comprar produtos das categorias que esta marca vende, vão colocar os seus concorrentes de lado e a Control será a primeira opção.

Imagem Control, S de Seller

Já utiliza os 4 S`s do Social Media

Agora que já conhece os 4 S`s do Social Media e olhando para os seus conteúdos, os mesmos têm algum destes S`s?

O modelo dos 4 S`s do Social Media vai ajudá-lo a criar conteúdos virais para as suas redes sociais e a conquistar seguidores. Dependendo do objetivo de cada conteúdo poderá não utilizar todos os 4 S`s. Se o seu objetivo é conseguir interações com a publicação, talvez não precise de utilizar o S de Seller.

Assim, quando planear os seus conteúdos definida sempre o objetivo de cada um e perceba quais S`s do Social Media deve incluir.

E para o ajudar a gerir as suas redes sociais, já sabe que pode sempre contar com a ajuda do Swonkie. Se ainda não tem a nossa ajuda, experimente grátis durante 14 dias.